Textos




Reverberações


Eliane Triska

Está dentro de mim... Não quer falar,
Trazida por inquieta vã procura.
O sonho faz poeira ao recostar
No corpo a sós... Inútil criatura!


Está dentro de mim... Que o dia a veja!
Só eu a velo ... E, ao morrer, coitada,
Finge à vida e ao dia que a deseja
E volta à terra assim, inacabada.


Comigo é má, mas sua sorte é pouca.
Que céu enviaria um emisssário
Sem idade... sem cor... sem uma roupa?


Quis o silêncio tanto... Que importou?
Só fez ausência, ali, onde o glossário
Deu voz a esse nome que eu sou.


Canoas, agosto de 2010


Eliane Triska
Enviado por Eliane Triska em 04/08/2010
Alterado em 14/12/2012

Música: VIOLINO_Theme_From_Reilly_Loop_ - Desconhecido

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários