Textos






Réquiem



Não me esperes
antes que os sinos digam
das tristezas das minhas ruas.

Por ora, deixa-me e espera!
que também te esperarei com flores.
E, quando eu voltar
das dores outonais caídas,
os sinos, com suas saias rodadas,
serão minhas despedidas,
e não me quererás mais.

Então, não me esperes,
porque a primavera ainda não floriu
e o amanhã pode querer murchá-la
ao vê-la reanimar
o poema
que deixaste morrer no rio...



Canoas, outubro de 2010/RS

Eliane Triska
Enviado por Eliane Triska em 08/11/2010
Alterado em 26/09/2012

Música: Mantovani_Orchestra_-_Nessum_Dorma_(instrumental) - Desconhecido

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários