Textos






O MUNDO EM RESPOSTA À DESESPERANÇA

Eliane Triska


Tuas falas a mim, são só perguntas
A razão, do meu ser, porque eu abrigo
Sobre mim, aos milhões, meus inimigos.
É deles ou de ti que tanto assuntas?


Não sabes quem eu sou... Já saberás!
Pois os homens viris no sabre cunham,
Da flauta as vibrações, quando o empunham,
E nele orquestram sons de sabiás.


Meu passamento? Não! Oh, que desastre!
Que baste um só sentido... São meus dias!
Negado para a morte...  Pobre Sartre!


A ti não cederei! Seria o cúmulo!
Primeiro: se eu me for (à revelia)
Quem poderá servir-te como túmulo?

Fevereiro/2014


 
Eliane Triska
Enviado por Eliane Triska em 09/02/2014
Alterado em 12/02/2014

Música: Ressurreição - Desconhecido

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários