Textos



Arte de Anna Paes

Pesadelo


Eliane Triska

Noite terrosa, úmida, que o frio
Como um carrasco - ser covarde e duro -
Num gesto bruto, empurra-me aos baixios
Olhos da noite. Sinto-me em apuros!


Dois gelos negros trazem à retina,
Auroras boreais abandonadas,
Um tempo sem direito a travessia,
Estrelas que não brilham. Valem nada!


Olhos da noite, quais as direções
Ao revelar aos céus teus embriões,
Te voltas com as pálpebras abertas?


Para mim? Me sucumbo à madrugada
Como eu fora, tão só, cinza soprada
Ao vento, que se agita e diz: Desperta!!!


Maio/2016


 
Eliane Triska
Enviado por Eliane Triska em 15/05/2016
Alterado em 15/05/2016

Música: 06Lumen Naturae20 - Desconhecido

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários